Look it!


Este blog já foi pessoal um dia. Não é mais. Postos em privado todos os seus antigos textos, o velho letter-paper agora se chama Oh!We e pretende ser apenas um depósito de coisas bonitas, sejam estas virtuais ou não. Não está terminado, mas aos poucos o será. Um grande seja bem-vindo (e volte sempre) da Lidsa que – lentamente, heh – vai pelejando com o seu layout e codificação.

Este blog já foi pessoal um dia. Não é mais. Postos em privado todos os seus antigos textos, o velho letter-paper agora se chama Oh!We e pretende ser apenas um depósito de coisas bonitas, sejam estas virtuais ou não. Não está terminado, mas aos poucos o será. Um grande seja bem-vindo (e volte sempre) da Lidsa que – lentamente, heh – vai pelejando com o seu layout e codificação.

Com o Tempo

Não mais compreendo o tempo. Sentir que esta semana pareceu ter passado rápido demais contradiz a impressão de um interminável tempo sem o pedaço de vida há sete dias deixado para trás. Talvez a culpa seja da saudade, essa má conselheira que espanca o coração, entorpece o sentido e turva a razão. Tem-me tentado fazer perder a linha e o amor próprio, mas no fim e no que depender de mim, falhará. É sob o uso de muito auto-controle que hei de vencer e de repente deixar o coração bater mais forte por outrem, numa cena que inafortunadamente ainda não mentalizei… Preciso a borracha que tudo apaga – tempo; O tempo remédio que outrora me ajudou e me ajudará outra vez, eu sei. A tal receita é o conformismo, doses de amor-próprio, ombros de consolo amigo, colheradas de realidade. Sou a do-contra que vai na contra-mão. E enquanto todos buscam pela poção do amor, eu desejo ansiosamente o antídoto.